terça-feira, 17 de agosto de 2010

Poeminha sentimental: Suas mãos

lá vem elas
quentes, pálidas
descobrem meu corpo

minha alma se revela
como verso declamado

aqui estão elas
carinhosas, fortes
tocam meu corpo

minha alma se entrega
com o coração apaixonado

Ana Kita

6 comentários:

  1. Apaixonada? (dessa vez acertei significado, HAHA)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema de mãos delicadas, Ana!

    Que haja entrega da alma! Só assim é inteiro!

    Beijinhos,

    Moni

    ResponderExcluir
  3. "como verso declamado"
    ficou do caraleo!

    =D

    ResponderExcluir
  4. Um eu lírico apaixonado sim, Daniel! ;D
    Pode ficar feliz! haha
    Obrigada pelo frequente olhar atento! ;)

    Muito obrigada, Moni! Concordo plenamente!

    E obrigada, Ítalo! Achei bonitinho também.

    Beijos a todos!
    Ana

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de textos que abordam os sentidos.

    Os sentidos são como "as portas da realidade"... deu saudade agora de um texto hindu que li uma vez (eles catalogam todas as portas da realidade, e não abrangem só os 5 sentidos básicos, eles tem uns 20 sentidos...)

    E as portas da realidade se refere as múltiplas maneiras que temos para "ler" o mundo.

    ResponderExcluir
  6. Legal isso, Kawen!
    Obrigada!

    Beijos!
    Ana

    ResponderExcluir